COMO ECONOMIZAR ENERGIA: EMPRESAS E RESIDÊNCIAS

Economia de Energia a partir da Energia Solar e Eólica?

 

O aumento dos custos de energia impactou negativamente muitas famílias, forçando-as a encontrar maneiras de reduzir os efeitos da inflação. Isso levou muitas famílias a mudar seus hábitos de consumo de energia, como buscar novas formas de consumo inteligente e fontes renováveis.

 A crise energética chegou para todos e a energia elétrica foi cortada em 18 estados brasileiros; dezenas de cidades foram afetadas pelo apagão. O Jornal Nacional começa cada dia com uma reportagem sobre o caos e o medo provocados pela possibilidade de um apagão geral. Em 11 de novembro de 2009, marca a primeira vez em 25 anos que houve queda de energia elétrica em Itaipu. Isso ocorreu devido a um breve circuito em uma das linhas de transmissão entre Itaberá e São Paulo. A justificativa dada pelo Ministério de Minas e Energia do Brasil foi o mau tempo.

A energia produzida era insuficiente, então o Ministério de Minas e Energia decidiu abrir o direito de geração e venda de energia para quem conseguir distribuir o recurso. 

Foi então Institui o marco legal da microgeração e minigeração distribuída, o Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE) e o Programa de Energia Renovável Social (PERS); altera as Leis nos 10.848, de 15 de março de 2004, e 9.427, de 26 de dezembro de 1996; e dá outras providências:

Autoconsumo remoto: modalidade caracterizada por unidades consumidoras de titularidade de uma mesma pessoa jurídica, incluídas matriz e filial, ou pessoa física que possua unidade consumidora com microgeração ou minigeração distribuída, com atendimento de todas as unidades consumidoras pela mesma distribuidora;– autoconsumo remoto: modalidade caracterizada por unidades consumidoras de titularidade de uma mesma pessoa jurídica, incluídas matriz e filial, ou pessoa física que possua unidade consumidora com microgeração ou minigeração distribuída, com atendimento de todas as unidades consumidoras pela mesma distribuidora;

Conta de Desenvolvimento Energético (CDE): encargo setorial estabelecido pela Lei no 10.438, de 26 de abril de 2002;– consumidor-gerador: titular de unidade consumidora com microgeração ou minigeração distribuída;– crédito de energia elétrica: excedente de energia elétrica não compensado por unidade consumidora participante do SCEE no ciclo de faturamento em que foi gerado, que será registrado e alocado para uso em ciclos de faturamento subsequentes, ou vendido para a concessionária ou permissionária em que está conectada a central consumidora-geradora;

Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras: conjunto de unidades consumidoras localizadas em uma mesma propriedade ou em propriedades contíguas, sem separação por vias públicas, passagem aérea ou subterrânea ou por propriedades de terceiros não integrantes do empreendimento, em que as instalações para atendimento das áreas de uso comum, por meio das quais se conecta a microgeração ou minigeração distribuída, constituam uma unidade consumidora distinta, com a utilização da energia elétrica de forma independente, de responsabilidade do condomínio, da administração ou do proprietário do empreendimento.

Como fica na prática?

 Empresas e residências ganham a possibilidade de gerar sua própria energia e conseguir até 100% de desconto em sua conta de eletricidade. 

Quando partimos do sistema próprio para geração de energia é também necessário levar em conta os custos com o projeto, uma vez que cada casa ou empreendimento tem uma demanda diferente para consumo de eletricidade. A instalação e a manutenção dos equipamentos têm um custo anual. Ou seja, se optar pela geração da própria energia, é preciso pensar nos custos a longo prazo, bem como no período e estrutura física necessária para modificação e instalar a estrutura necessária. 

Outra saída para quem não quer arcar com os custos de instalação e manutenção de sistemas eólicos e fotovoltaicos, é a contratação do fornecimento de energia por parte de empresas que oferecem energia solar e eólica sem a necessidade de qualquer tipo de instalação em sua empresa ou residências. A desvantagem deste tipo de serviço é que a redução só chega a 40% menor na sua conta de eletricidade.  

Por outro lado existem muitas vantagens:

  • – Não tem plano de fidelidade, você pode cancelar quando quiser.
  • – Não tem taxas de adesão, pois é gratuita.
  • – Não precisa fazer modificação em seu medidor de energia.
  • – Não precisa investir em projetos ou equipamentos.
  • – O desconto vem direto na sua conta sem necessidade de outros boletos.

Dentre as empresas que fornecem esse tipo de serviço para todo o Brasil está a  Nova4 Energy

Se você mora no em São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso ou Mato Grosso do Sul; sua casa, apartamento ou empresa pode ser beneficiada com o desconto na conta de energia. Caso sua empresa ou residência seja em outros estaddos como Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina,  Sergipe e Tocantins. Você consegue até 35% de desconto em sua conta de energia para empresas.

Para conhecer sobre as condiçõe e ter o seu desconta na conta de Energia, CLIQUE AQUI

 

 


Posted

in

by

Tags:

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *